Linhas de Ley

Antes de explicar sobre a construção e disposição dos círculos propriamente ditos, vamos começar sobre as chamadas “Linhas de Ley”. Apesar de conhecidas pelos chineses e hindus por milênios, o primeiro ocidental a estudar e teorizar as linhas energéticas que passam pela superfície do planeta foi o matemático Pitágoras, aproximadamente em 500 AC, mas estas linhas só foram mesmo popularizadas em 1921, por Alfred Watkins.
As linhas de Ley, como vocês perceberão, é uma teoria que explica muito bem a imensa quantidade de eventos “inexplicáveis” ao redor do mundo, incluindo o Triângulo das Bermudas, Pirâmides, Áreas mortas, aparições de OVNIs e outras regiões de fenômenos magnéticos estranhos.

A mais antiga evidência a respeito de pesquisadores das linhas de Ley encontra-se no Ashmolean Museum of Oxford, que tive o prazer de visitar pessoalmente em 1989. Nele estão expostas um conjunto de 5 pedras mais ou menos do tamanho de um punho, esculpidas em 1400 AC, que representam precisamente os sólidos de Platão descritos no Timeus (que só seriam estudados oficialmente mil anos depois, na Grécia segundo as otoridades). Apesar destas estruturas serem extremamente delicadas e precisas, oficialmente, estas pedras são consideradas “projéteis de algum tipo não definido de boleadeira”.

No Brittish Museum também estão em exposição esferas de metal (de ouro e bronze) vietnamitas com respectivamente 20 e 12 pontos, que se encaixam e rolam umas sobre as outras, marcando uma combinação de 62 pontos e 15 círculos. Estas esferas possuem cerca de 2.500 anos de idade. Apesar destas esferas servirem como objeto de estudo dos sólidos de Platão e da combinação de pontos dentro de uma superfície esférica, oficialmente elas são “objetos de uso religioso não especificado”.

Combinando os dois principais sólidos de Platão, temos uma grade composta de 120 triângulos como a figura ao lado. Esta esfera metálica vazada foi encontrada por arqueólogos em ruínas na cidade de Knossos (durante a Idade Média, diversas imagens como esta apareciam em textos de alquimia e ela era chamada de “Esfera Celestial” por eles). Sua função era ser deixada ao sol para estudos da projeção das sombras sobre a esfera central. Com isto, os gregos (e egípcios e posteriormente os pitagóricos, alquimistas e templários) conseguiram medidas precisas de distâncias no planeta, que só foram igualadas em precisão neste século, com os mapeamentos por satélite. Oficialmente, este é uma “esfera ornamental, de função desconhecida”.

Mas vamos direto para as Linhas de Ley. Como todos nós sabemos, os sólidos de Platão são 5 (tetraedro, cubo, octaedro, dodecaedro e icosaedro). Pense nos dados de RPG. Porque apenas cinco? A resposta está nos cinco elementos do pentagrama usado na magia. Estes elementos estão também relacionados com sólidos geométricos, além das cores e símbolos tradicionais. Então temos: Fogo = tetraedro, Terra = cubo, Ar = octaedro, Água = Icosaedro e Espírito ou Prana = Dodecaedro. As Escolas Pitagóricas reuniram todos os sólidos dentro de uma única esfera e o resultado foi um mapa de linhas formado por 120 grandes círculos e 4.862 pontos. Como na figura abaixo.

Os estudos de Platão ecoam os ensinamentos de Pitágoras a respeito da projeção do infinito sobre o finito e servem para demarcar os pontos energéticos de maior intensidade na superfície do planeta, da mesma maneira que as linhas energéticas marcam os pontos principais da acupuntura em um corpo humano. Repetindo: “As above, so Below” (Tudo o que está em cima é igual ao que está embaixo).

Eminentes cientistas, como Sir Joseph Norman Lockyer, estudaram a superfície do planeta e sobrepuseram as chamadas Linhas de Ley com grandes monumentos do passado, como as Pirâmides, os principais círculos de pedra e outros eventos “inexplicáveis” e chegaram a “coincidências” absurdas. Cidades como o Cairo, com 6.000 anos de idade, foram projetadas (sim, você leu direito: projetadas) de maneira harmoniosa com as linhas energéticas do planeta. Londres, Paris, Berlin, Moscou, Washington, Brasília (ok, Washington e Brasília são cidades novas, mas seus projetistas sabiam o que estavam fazendo – olhe direito a planta de Brasília… aquilo é mesmo um avião ou poderia ser um compasso?).
Graças a este conhecimento oculto, mapas medievais até hoje inexplicados mostram a América, Austrália e Antártida com formas quase perfeitas, condizentes com descobertas feitas séculos depois. Exemplos são o Mapa de Piri Ibn Haji (copiado de um mapa que estava na Biblioteca de Alexandria, com a descrição da América) e o mapa de Calopodio (1537, descrevendo a Antártida). Estes mapas eram mais precisos do que mapas feitos até a década de 60 ou 70.

Com base nestas linhas, mapas da Atlântida e de Lemúria também puderam ser traçados muitos séculos antes que os cientistas sequer começassem a discutir “placas tectônicas”. O pesquisador e cientista Sir James Churchward publicou, em 1972, um trabalho intitulado “The Twelve Devil´s Graveyard around the world”, onde localizava os doze locais onde ocorriam o maior número de acidentes e desaparecimentos de barcos e aviões no planeta. Durante anos, ele compilou relatórios da marinha de vários países, chegando aos doze pontos críticos (entre eles, o famigerado Triângulo das Bermudas). Quando os estudiosos compararam estes pontos com o modelo esférico de Platão/Pitágoras, “coincidentemente” chegaram aos pontos principais do icosaedro projetado no Planeta (que “coincidentemente” é o elemento Água na geometria pitagórica).

Cruzando outros pontos na grande esfera temos pirâmides ao redor do planeta (uma na Amazônia, inclusive… porque será que os americanos estão tão preocupados com a Amazônia agora? Vejam a briga que está no congresso, com esta proposta de lei para privatizar partes da floresta… que terrenos exatamente vão cair nas mãos de multinacionais americanas?), caminhos que as aves migratórias seguem, avistamentos de UFOs, locais sagrados, Catedrais, Círculos de Pedra e por ai vai. Escolha um local bizarro ou inexplicável do estilo “acredite se quiser” e coloque-o sobre o mapa-mundi. Ele estará sobre ou muito próximo de um ponto destes.

Se quisermos brincar um pouco mais, basta pegar cidades importantes do ponto de vista religioso ou político, como Kiev, Roma, Constantinopla, Jerusalém, Meca, Karthoum (cidade mais importante do antigo Sudão), Ile Ife (cidade mais importante para os antigos Yorubás) e as ruínas do Grande Zimbabwe e perceberemos que elas se encaixam em um padrão peculiar (os pontos que estão faltando são sítios arqueológicos que foram centros religiosos em um passado distante). Quem já está familiarizado com a Kabbalah vai achar no mínimo intrigante esta “coincidência”. Podem, inclusive reparar que Jerusalém está sobre a sephira Da´ath (ok, eu sei que a maioria não vai entender essa… )

Na Europa não é diferente. Se conectarmos todas as linhas básicas descritas por Platão e Pitágoras, os cruzamentos principais destas linhas cairão em cidades importantes como Oxford, Rotterdan, Berlin, Chartres, Altamira, Barcelona, Frankfurt, Córdoba, Hamburgo, Lourdes, Roma, Atenas, Delfos e trocentas outras. Cidades que surgiram ao redor de oráculos, círculos de pedra (que foram substituídos por catedrais por causa da Igreja Católica e ai entra a importância dos pedreiros livres para a preservação desta geometria sagrada) ou monumentos antigos.
Agora… por que TODOS os oráculos gregos, círculos de pedra e pirâmides estão localizados sobre estes nodos? Que relação temos entre “comunicação com os deuses”, “centros religiosos”, “eventos bizarros” e as linhas de Ley? Coincidências? 4.862 coincidências então.

europa

E estas linhas e pontos podem ser divididos múltiplas vezes, em grades menores, até chegar a parcelas bem pequenas, suficientes para envolver quarteirões ou mesmo casas. Os chineses, gregos, egípcios e os antigos já conheciam a respeito destas linhas e chamam isso de Feng Shui/Geometria sagrada (mas esqueçam estas coisas estranhas que aparecem nas revistinhas de decoração hoje em dia, estou falando da ciência por trás do Feng Shui, algo que definitivamente não vai cair nas mãos das massas tão cedo).
Todo mundo conhece locais na sua cidade ou bairro onde não importa que tipo de negócio se abra, ele sempre quebra, lugares onde qualquer loja que se estabeleça será um sucesso, locais onde você se sente mal sem saber por que ou lugares onde você se sente bem sem explicação racional. O estudo sério destas linhas energéticas poderia trazer benefícios enormes para a humanidade, definindo locais melhores e mais adequados para se construir hospitais, escolas, presídios, estabelecer plantações, parques, áreas residenciais e assim por diante.

A moral é: Feng Shui tem fundamento científico? SIM. Ele funciona do jeito que as revistinhas e livros pregam? NÃO. Portanto, temos de dar um pouco de razão aos céticos que xingam essas coisas porque eles estão parcialmente certos: tem muita besteira e chute sem fundamento publicado por ai, infelizmente. Mas o estudo sério destas energias (digo, algo patrocinado por universidades e conduzido de maneira séria e laboratorial, envolvendo geólogos, físicos e pesquisadores) seria algo muito interessante.

Bom… sabemos que as linhas energéticas estão ai. A questão é: como aproveita-las?
Os antigos sabiam.
Semana que vem, círculos, pirâmides, cristais e outras formas geométricas.

Temet Nosce, crianças.

Este post tem 33 comentários

  1. vegeto

    Parece que essas linhas de ley ajudaram muitos políticos a roubar também hehehe

  2. motaboyrs

    E aí DD..Tudo bom? Mais um excelente tópico.

    Seguinte, minha mãe é muito aficcionada por Feng Shui e acabei lendo mais a respeito, porém, nunca acreditei muito no Feng Shui das revistas.

    O senhor saberia me indicar algum, site, periódico, livro, etc, mais sério sobre o assunto? Tanto Feng Shui, como linhas de ley…Ou o senhor poderia fazer um “tutorial”? 😀

    Abraços

  3. Leon

    Genial! (O lance sobre Daat, foi lindo!)

    Então, eu tenho uma teoria de que a aboboda celeste parece mais próxima da terra vista de baixo de alguma linhas dessas. Digo isso pois aqui em Israel é nitido que o céu esta incrivelmente mais baixo do que era em São Paulo.

    Como imagino q vc ja tenha visitado lugares de outras linhas, Confirma isso? Ou seria um fenomeno local isolado? (E por isso que se diz subir pra Israel?)

    Abraço

    PS: Qqr coisa, manda um mail, acredito q vc tenha acesso aos endereços.

  4. InSaNo®

    Esse mapa amarelado do globo terrestre é coisa atual. Não que eu esteja duvidando da palavra do DD, mas é que, pelo que sei, a denominação América (North America) e América do Sul (South America, ou S.America como está no mapa), além do inglês, são coisas recentes. As denominações não podem ser antes de 1450 D.C. Corrijam-me se estiver errado.

    1. Guilherme

      InSaNo®, o mapa amarelado indicado no blog pertence ao estudo feito por Churchward na década de 70.

  5. kK

    Atlântida então “explodiu” ou foi “tragada” ?

    Reza a lenda que foi por abuso de poder.

  6. Leon

    Outra coisinha, vc sabe onde acho um mapa mundi com as linhas desenhadas?

  7. Lucifer Sam

    Marcelo, já faz umas semanas que eu parei de ler a coluna e o seu blog porque to sem tempo nenhum, só abro as vezes e passo o olho em algumas coisas, to estudando pro vestibular praticamente o dia inteiro e infelizmente to pra tras nos assuntos. Mas como hoje deu um tempo eu to escrevendo pra fazer uma pergunta: em uma das respostas de um outro post você disse que hoje os segredos estão voltados pra estruturas urbanas alinhadas com as linhas de Ley. Isso é tão secreto assim? Eu vou fazer arquitetura e queria saber se eu iria precisar fazer parte de alguma ordem pra aprender a utilizar as linhas de Ley.
    Desculpa pela insistente pentelhice, mas se puder respoder eu agradeço muito. vlw

  8. Caro tio, gostaria de saber mais sobre as linhas de Ley e a sephira Da´ath, moro no rio, quando virás ministrar cursos aqui?

  9. Samuel Ritter

    MDD, já estudei sobre Feng Shui, tenho um livro sobre o assunto e conheço pessoas com formação profissional no assunto. Já fez teste de Feng Shui lá em casa e realmente funciona, mas ele é bem diferente do que vc está falando.
    O conhecimento ao qual vc se refere, foi aplicado nas olimpíados da Coreia, onde até o local de construção dos estádios era baseado nesse conceito ao qual vc se refere.

  10. teste: enviando nível alto neste momento considera-se este o tempo inicio do processo podendo ser setado todos os protocolos de acesso para nos certificarmos que todos os canais estão em: IN não sendo mais possível com que haja um aborto da M.D. até agora. .TESTE FIN.

  11. Guilherme

    Lembrei desse artigo quando vi isso:

    http://www.geekologie.com/2008/06/old_even_the_ancient_romans_pl.php

    É um icosaedro, um d20 da época do Império Romano!

    “Several polyhedra in various materials with similar symbols are known from the Roman period. Modern scholarship has not yet established the game for which these dice were used.”

    Tem um lado que tem o signo do Sol… mas os outros parecem mais runas. São os sólidos descritos no artigo ou algo diferente?

    ps: Nao sei se postava no post mais novo ou nesse aqui que tem a ver com o assunto, mas na hora lembrei desse post teu…

  12. Mirtzi

    Parabéns pelas inferências.
    Tenho pesquisado coisas afins e me deparei com esse teu artigo.
    Muito bom mesmo.
    Gostaria de trocar algumas idéias, meu email está anotado. Por gentileza entra em contato para trocarmos algumas impressões.
    Grata.

  13. gaspar

    Do lado Oriental do mar que une o Brasil a Portugal,
    um TAF:.
    fg

  14. HiroNakamura

    Então, se eu quiser traçar estas linhas para o Brasil, para meu estado, cidade e bairro… Como faço? Tenho certeza que muitas outras “coincidências” devem aparecer.

    Conversando com um amigo há alguns anos, ele me falou de algo muito parecido com isso. Porém o objetivo dele era prever e “rever” acontecimentos globais, em um nível mais “sutil”, dentro de um outro conhecimento.

    Como eu era muito novo na época, embora tenha ficado interessado, não dei tanta atenção. Até por que, era um projeto “distante” que iria requerer conhecimento e recursos e tempo para viagens.

    A pouco tempo fui conversar sobre isto novamente e ele não lembra mais nada desta conversa, ou então não quer me contar ainda.

    Vou ver se encontro alguma pista por conta própria.

  15. HiroNakamura

    “(ok, Washington e Brasília são cidades novas, mas seus projetistas sabiam o que estavam fazendo – olhe direito a planta de Brasília… aquilo é mesmo um avião ou poderia ser um compasso?).”

    Olhem essa imagem de um dos primeiros esboços da cidade, quando seria chamada Vera Cruz, e me digam se o que vejo é realmente um compasso ou é minha mente pregando peça:

    http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/9/96/PlanoVeraCruz1.jpg

  16. terenci

    Marcelo tem como eu saber queis sao as linhas de ley de dentro na minha cidade e ate do meu bairo… estou procurando um lugar pra brir um comertio e gostaira que fosse tentro da linha de ley mais apropriada possivel

  17. Ian

    Já ouviste falar em teoria dos fractais, MDD? Têm algo a ver com essa geometria do Platão? (Já que é o infinito se projetando sobre o finito)

    Abraços!

  18. Thiago Mori

    Seriam merkabahs nesses lugares responsáveis pelos autenticos cropcircles?

  19. Jose Pedro

    Os 5 sólidos de Platão, na verdade não são sólidos, porque todo objeto sólido, tem massa medida, e está em algum lugar no universo. No caso deles não tem massa, nem medida, e não estão em nenhum lugar, porque não existem.
    Mas deixem que eu corrija este erro de interpretação; na verdade, esses ditos sólidos, podem ser definidos como sendo divisores perfeito do espaço. traçando planos desde cada aresta, em direção ao centro, teremos cavidades em forma de pirâmides. tantas, quanto o número de lados de cada divisor. por exemplo, no caso do tetraedro, teremos quatro cavidades em forma de pirâmide triangulares, partindo do seu centro, em direção ao infinito, dividindo o espaço em quatro partes iguais. No caso do hexaedro, ou cubo, teremos seis cavidades partindo do seu centro em direção ao infinito, dividindo o espaço em seis regiões iguais, e assim por diante.
    Mais uma observação. Não são cinco, mas sim 7 divisores perfeitos do espaço. Platão esqueceu de dois importantes; A esfera, o mais perfeito de todos, mas o mais complexo, pois dividiria o espaço em infinitas regiões a partir do seu centro, e o triângulo, que dividiria o espaço em apenas duas regiões.

  20. Jorge Reimbrecht

    Esse lance de ter locais “malditos”, onde nenhum comércio prospera, eu já pude observar ao vivo e a cores. Havia uma esquina onde nenhum negócio que abriu lá durou. Em alguns casos era notório que ninguém sequer entrava na casa.

  21. Erick Rocha Amorim

    Nossa, eu sou programador, e fico imaginando se seria possível desenvolver um aplicativo android para dizer por onde estão passando as linhas de ley em cima do seu google maps… seria muito interessante agregar isso a um conhecimento mais aprofundado sobre o efeito de cada um dos nodos, relacionados aos elementos.

    1. Ana Caroline

      Seria muito interessante mesmo

  22. Danilo

    Existe algum mapa acessível com todas as linhas de ley?

  23. Tuam

    Na imagem acima, onde Sir Churchward mapeou 12 Triângulos no planeta… O RJ está próximo ao Triângulo 49? Eita…

  24. Mayara Himuro

    Olá Marcelo, quero deixar uma sugestão de post. Gostaria de saber mais sobre o que disse de Brasília e sobre o Plano Piloto do Lúcio Costa, muito se sabe sobre a parte técnica e o que foi disseminado nas universidades para os alunos, mas foi extremamente novo e importante a abordagem que fez a respeito do assunto. Seria íncrível saber mais a respeito sobre isso e talvez abordagem sobre a arquitetura oculta praticada aqui no nosso Brasil na atualidade. Obrigada desde já e amo suas postagens! <3

  25. Victor Hugo

    Olá Tio Marcelo, moro em Brasília (Asa norte, ou parte de cima do compasso ahahaha). Nunca havia pensando na possibilidade do avião ser na verdade um compasso, porém, já escutei várias histórias místicas sobre a capital que diziam que na verdade o avião/compasso é um ave chamada Íbis, que no Egito tinha uma história parecida com a da fênix, pois ela renasce das cinzas. Quando me Contaram isso me lembrei da vegetação daqui que é o cerrado, não sei se tem algo a ver, mas o cerrado pega fogo naturalmente e renasce. Eu acho impressionante como os monumentos da capital tem muitas semelhanças com alguns do Egito e até de Machu Picchu, parece que por aqui as paredes falam. Sem falar da semelhança entre a cruz de chakana e o brasão de Brasília…

  26. Marco Antonio

    Querido Ir.’. Del Debbio, uma pergunta: A capela Roslyn está numa dessa linhas? A linha Rosa?

    @MDD – Sim

Deixe uma resposta