O Templo Exterior e o Templo Interior

Atualizado: 16 de abr.


A atitude correspondente a um coração puro é apenas uma parcela do comportamento esperado de um DeMolay. Esta conduta é regida pelas Sete Virtudes Cardeais, pelos três baluartes que nos são sagrados [as liberdades civil, religiosa e intelectual] e pelo juramento que todos os Irmãos prestam ao tornarem-se Iniciados em nossa Ordem.

O trabalho para a formação de um verdadeiro DeMolay é realizado a cada Reunião Ritualística, geralmente nas tardes de sábado ou nas manhãs de domingo, duas vezes ao mês. Embora tenhamos explicado de forma geral como funciona esse processo, a relação entre o templo exterior e o templo interior precisa ser bastante bem compreendida.

Dentro da Sala Capitular

Antes, esclarecimentos de ordem prática. Os DeMolays participam de reuniões em Salas Capitulares. É muito comum o uso de termos maçônicos para designar nossos trabalhos, mas isto é incorreto. Nossas Ordens estão permanentemente ligadas, mas sempre foram distintas. Em reuniões DeMolays, devem ser observados os estatutos, os procedimentos e também as nomenclaturas da Ordem DeMolay.

Os Iniciáticos, que são nossos neófitos, normalmente são instruídos quanto à forma de se comportar durante uma reunião. Estas orientações têm um único propósito: que os participantes das reuniões estejam plenamente conscientes do que está acontecendo e atentos a tudo o que está sendo feito e dito.

Após o começo da reunião, todos os pensamentos relacionados a assuntos particulares do mundo exterior devem ser completamente ignorados. Com disciplina, os DeMolays devem se concentrar no assunto em discussão, nas propostas levantadas e nas apresentações realizadas.

Muito cedo na Ordem, os membros aprendem que existe um momento adequado para falar; em todos os demais, o silêncio é a regra. Esta lei do silêncio não se aplica somente às palavras, mas ao corpo também – um ouvinte irrequieto não apenas tira a atenção dos demais como desconcentra quem está falando. O corpo é um reflexo da mente. Se a mente não está pacífica, o corpo jamais se prestará à boa postura.

Pequenos detalhes

Sendo assim, durante todos os procedimentos, os DeMolays devem buscar essa dedicação que requer paciência e serenidade. No início, é muito complicado, mas eventualmente esta habilidade pode ser aprendida, se o Iniciado trabalhar nesse sentido. Muitos Irmãos com décadas de Ordem jamais se prestaram a tal esforço e, tristemente, não sabem se portar entre seus pares.

Como ensinam diversas doutrinas e estudos, a respiração desempenha um importante papel na condição do ser humano. A respiração não-superficial, demorada e profunda, tem efeito poderoso sobre a ansiedade e o excesso de energia, tão comuns nos jovens e adolescentes.

O corpo bem suportado e sentado de modo apropriado permite a manutenção desta atenção receptiva pela duração de toda a reunião – e todo DeMolay sabe que algumas reuniões podem se prolongar por horas. Em uma sociedade onde diversos trabalhos necessitam do uso contínuo do computador, saber sentar-se é um conhecimento muito valioso para evitar consequências desagradáveis em um futuro não tão distante.

De fora para dentro

Assim como nos ensina o Pentateuco, quando narra extensiva e repetidamente as instruções para a construção do Tabernáculo no deserto, o trabalho de construção do Templo começa de fora para dentro. Em outras palavras, primeiro entramos em contato com novos conceitos, novas ideias, uma aspiração mais elevada para então provocarmos mudanças mais profundas e significativas.

É por este motivo que boa parte das primeiras instruções em diversos grupos, Ordens, sociedades e mesmo reuniões corresponde a “como andar e o quê vestir”. Em Roma, como os romanos. Quando se está na escola, uniforme, sentar na carteira em fila, responder à chamada, entrar e sair somente sob permissão do professor, responder aos toques do sinal, etc.

Lentamente, o significado das roupas que você está usando, dos gestos que você está fazendo, das palavras que você está dizendo vão se infiltrando no seu ser. Aos poucos, você deixa de apenas repetir o que foi ensinado, mas a fazer naturalmente [e automaticamente, em alguns casos não muito recomendáveis – é sempre vital ter plena consciência do momento, do agora].

De dentro para fora

Então, Deus repete todas as instruções para o Tabernáculo, mas de dentro pra fora. Agora, ao invés de aprender a forma exteriormente, você deve produzir o conteúdo de dentro. No lugar de ser um DeMolay porque você diz “Eu sou um DeMolay”, você deve passar a dizer “Eu sou um DeMolay” porque você é um DeMolay.

É extremamente importante observar que primeiro vem o conhecimento externo e, aí sim, o conhecimento interno. Como já foi dito anteriormente em nossa coluna, nenhum músico de orquestra que vai tocar uma simfonia de Beethoven vai passar os ensaios discutindo sobre as propriedades dos instrumentos ou quais efeitos específicos os de corda têm sobre as emoções das pessoas em contraste com aqueles de percussão. Quando a apresentação finalmente chegar, o resultado não vai ser harmônico, definitivamente.

Da mesma maneira, para realmente ser capaz de manifestar o conhecimento interno e, desta maneira, construir o Templo Interior, o Templo Exterior tem que estar bem solidificado e ser o cimento sobre o qual será edificado o Santo dos Santos. Filosofar sobre as relações dos cargos da Ordem DeMolay com os caminhos da Árvore da Vida sem antes saber exatamente pelo quê cada cargo é responsável e quais são suas partes nas diversas cerimônias da Ordem é, novamente, um anúncio de um resultado ruim.

Neste estágio, gradativamente, o membro do grupo ou da Ordem vai compreendendo os significados mais emblemáticos das muitas coisas que foi instruído quando era novato. O próprio termo que usa pra se referir aos demais, Irmãos, vai se tornando cada vez mais verdadeiro e deixando de ser protocolo.

A construção do Templo Interior, evidentemente, leva muito mais tempo do que a edificação do Templo Exterior. No entanto, isto não significa que devemos abandonar os aspectos da parte externa – ainda é importante manter a casa arrumada, se portar bem, comportar-se para o mundo como se espera de um DeMolay. A diferença passa a ser que ao mesmo tempo em que você realiza alguma campanha filantrópica com seu Capítulo, você internamente está desenvolvendo um pouco mais as relações desses atos com as Sete Virtudes.

Um pequeno e último comentário: para quem tem um Templo Astral, o Templo Interior pode ser fisicamente acessado. Se você nunca passou por essa experiência, não force a barra tentando adentrá-lo fora do devido momento. O sumo-sacerdote mesmo só podia entrar no Santo dos Santos uma vez por ano. Violar o Templo seria um grande erro.

---

Hugo Lima é Sênior DeMolay do Capítulo Imperial de Petrópolis, nº 470.

Virtude Cardealé uma coluna com o propósito de desenvolver a reflexão sobre características fundamentais de todo DeMolay, bem como apresentar a Ordem aos olhos dos forasteiros.

#Demolay #TemploAstral

9 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo