top of page

Introdução ao Feng Shui

Desde tempos remotos o Homem busca abrigo contra as intempéries. Com o passar do tempo começou a construir seus abrigos e a sofisticá-los cada vez mais. Uma das preocupações mais constantes era justamente a salubridade do lugar, pois ninguém deseja morar em um lugar que lhe faça mal. Os chineses, com sua elevada cultura ancestral e sua mania pelos detalhes, desenvolveram uma ciência completa para ajudar as pessoas a construírem seus edifícios: o Feng Shui.

Literalmente, o Feng Shui (pronuncia-se “fon sui” ou “fon xuei”) significa “Vento e Água”. Pergunte a qualquer construtor quais os dois elementos da natureza mais perigosos e difíceis de domar em uma construção e ele lhe responderá: o vento e a água. O vento é extremamente destrutivo quando muito forte, extremamente perigoso num frio muito intenso e extremamente agradável num calor muito grande. Dominar o vento é trazer conforto e segurança para sua construção. A água é a mais maleável de todas as substâncias e está presente em 90% das coisas do planeta. Ela pode ser fina como um borrifo ou grande como uma enxurrada. Pode descer dos céus como uma garoa, suave mas que ensopa até os ossos, ou descer como bátegas violentas que derrubam tudo e penetram até nas mais finas frestas. Nas paredes ela pode se infiltrar pelo solo nos alicerces e, por capilaridade, atingir o teto! A água é outra fonte de muito estudo e planejamento pelos construtores. Que símbolos melhores para ilustrar uma ciência que cuida da construção em harmonia com a natureza do que “Vento e Água”?

Nascida originariamente como uma técnica para projeto e localização de cemitérios, templos e locais sagrados, o Feng Shui foi depois ampliado para abarcar também residências e comércios.

Como Funciona

A base do Feng Shui é a filosofia Taoísta. Baseado na harmonia com a natureza e no fluxo incessante de Chi (energia vital), o Feng Shui busca manter as correntes de Chi circulando livremente, intensificando as energias boas e tolhendo as energias desfavoráveis. Para isso se utiliza do Yin/Yang, Cinco Elementos e o Pa Kua (ou Ba Gua), os oito trigramas do I Ching. A astrologia chinesa também é muito utilizada por marcar os ritmos e ciclos do Universo.

Podemos dizer que o Feng Shui nada mais é do que uma acupuntura realizada numa construção. Da mesma forma que o acupuntor diagnostica desequilíbrios energéticos no corpo humano e preconiza a técnica adequada ao retorno da harmonia (agulhas, massagens, moxa, ventosas, etc…), o consultor de Feng Shui diagnostica os desequilíbrios da construção e prescreve alterações no edifício, retirada ou inclusão de objetos para poder retornar ou adquirir a harmonia necessária a uma vida saudável e produtiva.

Esta ciência nada tem de místico, embora na atualidade os esotéricos queiram transformá-la em algo oculto, cheio de rituais e encantamentos. Sua base são as leis que regem o Universo e o fluxo do Chi, definidas a milênios pelos antigos taoístas e utilizadas largamente na Acupuntura e outras artes taoístas.

Escolas

Existem muitas escolas de Feng Shui, pois há várias maneiras de interpretarmos e resolvermos as desarmonias energéticas. Vamos ver algumas das principais:

Escola da Forma– Com certeza a mais antiga de todas. Ela se baseia nos formatos da geografia e construções, comparando-os com os cinco elementos (terra, madeira, fogo, água, metal). Assim, um morro suave e arredondado (metal) pode ser transformado em um pontudo (fogo) acrescentando-se mais terra em seu topo.

Xuen Kong Fei Xing– A escola das Estrelas Voadoras, se baseia fortemente na astrologia chinesa como o próprio nome indica. Essa astrologia não se baseia no movimento dos planetas, como a astrologia ocidental, mas sim no movimento da Estrela Polar. Esses movimentos são representados por um quadrado com nove casas, sendo a central a posição dominante. Trabalha muito com os ciclos da natureza.

Ba Zhai- Escola das Oito Residências– sua base é o Pa Kua, os oito trigramas do I Ching. Traçando-se alguns cálculos, chega-se a um Pa Kua que é sobreposto à planta da construção e são analisados seus oito setores em função dos cinco elementos. Essa escola foi uma grande influência na Escola Lin Yue.

Escola Californiana ou Escola do Chapéu Preto– É a escola criada por Lin Yue, sacerdote do budismo tibetano que criou uma nova linhagem desta filosofia (Seita dos Chapéus Negros). Extremamente controversa, se baseia no simplismo exagerado de suas normas: aplica-se um Pa Kua na planta, onde cada setor possui uma característica (amizade, prosperidade, felicidade, etc…). Orienta-se pela porta de entrada e passa a harmonizar os cinco elementos de acordo com cada “canto”. Muito popular hoje em dia.

173 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo
bottom of page