top of page

Eu Não Sei Na Verdade Quem Eu Sou

Atualizado: 30 de abr. de 2022



Se autoconhecer, buscar aquilo que chamamos de Eu Superior, saber quem somos de verdade, uma tarefa um tanto difícil, acredito que é necessário várias encarnações para descobrir a resposta, mas será que um dia vamos saber na verdade quem “Eu Sou”?

Quando iniciamos nossos estudos seja no ocultismo ou na espiritualidade de uma forma geral, a primeira regra que encontramos e que também é desprezada por muitos, é justamente buscar quem nós somos, entrar nesse escuro túnel cheio de segredos, medos, raivas, amores e paixões.

É então nesse momento que damos o primeiro passo para se autoconhecer, buscando calcular aquilo que chamamos de “Valores”, valores estes que guardamos, usamos, mostramos e até escondemos dos outros, já reparou como você age de uma maneira totalmente diferente quando está na presença dos seus pais, e quando está na presença dos seus amigos?

Sim, isto é o que chamamos de máscara, mas não é esse nosso intuito agora. Voltando aos valores pessoais, muito diferentes dos valores que as pessoas nos atribuem. Nossos grandes amigos, nossos familiares, aquela pessoa que amamos e que nos olha com um grande sorriso, o sorriso do amor.

É então que você descobre que é nesse sorriso que você se sente bem, se sente preenchido como no abraço do divino. Naquele momento que você nunca queria que acabasse, naquele sorriso que você divide com seus amigos num momento engraçado, naquele sorriso que seus pais lhe dão pelo orgulho do filho que eles têm, naquele sorriso da pessoa amada quando está completamente feliz ao seu lado. Entretanto, porque esquecemos tudo isso em certos momentos? Por que a gente é desse jeito? Criando conceitos pra tudo que restou?

Olhar para dentro é muito mais do que ser racional, olhar para dentro é se amar. É olhar com os olhos de D’us, com os olhos do Amor Incondicional. Meninas são bruxas e fadas, fazendo mágica com seus olhares, com seu jeito meigo, com sua feminilidade que não só seduz, mas cuida. A magia do sorriso delas que faz qualquer homem, por mais duro e insensível que seja, se derreter como o gelo em meio ao fogo.

Palhaço é um homem todo pintado de piadas. Vestimos, sentimos, somos por instinto seres felizes, seres alegres. Nascemos chorando eu sei, mas sorrimos com a alma para o mundo.

Quando bebes, achamos que tudo é uma piada. Quando crescemos, fazemos as piadas. Para isso, precisamos nos pintar, pintar e brincar de ser palhaços. Não digo palhaço no sentido daqueles que são usados ou subjugados pelos outros, e sim aquele que enxerga o colorido onde a maioria enxerga preto e branco. Aquele que enxerga o céu azul como o telhado do mundo inteiro.

E por que quando crescemos deixamos de sonhar como crianças, que vê e é feliz com suas fantasias? Que se acha o Super Homem apenas por colocar a toalha no pescoço, e isso já é o bastante para vê-la correndo de felicidade por todos os cômodos da casa.

O sonho é uma coisa que fica dentro do meu travesseiro.

No final das contas eu não sei na verdade quem eu sou!

Estamos perdidos nesse jogo que é uma ilusão. Não sabemos se terá fim ou se é apenas o começo. Encontramos uma porção de dificuldades, desafios, problemas. Familiares, financeiros, emocionais, profissionais…

Mas você sabe qual é o seu valor? Ainda não porque não sabemos na verdade quem somos nós!

Descobri da onde veio à vida. Por onde entrei, deve haver uma saída. Porém, tudo fica sustentado pela fé! Na verdade ninguém sabe o que é! Se acreditarmos naquilo que queremos, vamos realizar. Se acreditarmos naquilo que somos, vamos ser o que temos que ser.

Quando envelhecemos, deixamos de ser adultos e voltamos a ser crianças? Nem sempre isso é verdade, mas e se fosse verdade? Por que não deixamos a dureza da vida de lado? Você quer envelhecer como um livro de capa dura cheio de conhecimento e sem coração? Temos que ser crianças, pois os velhinhos são crianças nascidas faz tempo!

Ao ouvir sua música favorita, ao sentir a batida do coração, perceba que o coração foi o primeiro som que você ouviu antes mesmo de você ter noção de que estava vivo. Lá dentro do ventre de sua mãe, lá dentro, você ouvia a música, a batida da vida, a batida do coração dela. Da próxima vez que ouvir um tambor, pense “Tambor no meu peito faz o batuque do meu coração!”.

Perceba que a cada minuto tem um olho chorando de alegria e outro chorando de luto. Tem louco pulando o muro, tem corpo pegando doença, tem gente rezando no escuro, tem gente sentindo ausência. Uma coisa é fato: todos nós viemos da centelha divina. Viemos de um mesmo lugar. Ao lado de cada pessoa há outra pessoa que está ligada em outra… Que estará ligada em você! E você poderá ser qualquer uma destas pessoas, formando um ciclo infinito. Nele, se unirmos todos em um só sentimento, teremos o amor, teremos o encontro com o divino.

O nosso paraíso é onde nós estamos.

Mas no final de tudo, eu não sei na verdade quem “Eu Sou”.

“O estudo não vem somente do raciocínio mizifio, vem também da sintonia com o coração”

4 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Reflexão

bottom of page