Antiga Ordem dos Jardineiros Livres

Atualizado: 29 de abr.


Recentemente o Irmão Bob Cooper, curador do Museu e Biblioteca da Grande Loja da Escócia publicou um excelente livro sobre Antiga Ordem dos Jardineiros Livres.

Ele dá uma noção de uma Fraternidade cujos emblemas e diplomas são semelhantes à da Maçonaria, embora não tão antiga como nossa maçonaria já existia há trezentos anos antes de entrar em um declínio dramático no início do século XX.

As insígnias da Ordem são muito semelhantes aos dos emblemas da nossa Ordem. Neste caso, o esquadro e compasso estão em forma regular, mas em vez da letra “G”, os emblemas dos Jardineiros têm uma faca de poda em aberto.


A Loja Hawthorn foi fundada em Bothwell em 1796 e é uma das mais antigas Lojas de Livres Jardineiros, em Uddingston, a Loja Bluebell foi formada em 1874, dois anos antes de nossa própria Loja St. Bryde, em Baillieston a Loja Adelphi foi fundada em 1863 e uma Loja independente (não filiada à Grande Loja dos Jardineiros) foi fundada em 1822, a Loja Livingstone Thistle foi fundada em Blantyre, em 1877, e a Loja Daisy em Bellshill em 1876.

É certo que a antiga Loja Hawthorn que existia em Bothwell em 1796 foi criada pelo grande número de jardineiros “operativos” que trabalhavam nas fazendas de Bothwell Castle. Mas as origens desta Ordem que foi, quase certamente, criada na Escócia, muitos anos antes da Inglaterra e da Irlanda como uma organização fraterna é como a nossa própria Ordem que em tempos antigos teve um início “operativo”.

Os primeiros indícios da existência da Ordem são encontrados em um livro de atas datado de 16 de agosto 1676, o qual começa com a “Criação da Fraternidade dos Jardineiros de East Lothian” que é constituída por quinze regulamentos.

Em um registro de 1 de Maio 1677, 66 membros assinam uma “obrigação” e comprometem-se a manter a boa ordem e melhorar o orgulho e a honra dos Jardineiros Livre locais. Na Escócia o século XVII foi marcado por uma agitação social considerável, devido às guerras dos Covenanters, após a assinatura do Pacto Nacional em 1638, um protesto contra Charles I pelas inovações eclesiásticas. Após a restauração da monarquia Stuart em 1660, o Episcopado foi reintroduzido na Escócia em 1662 e os sucessores dos signatários do Pacto Nacional marcaram a segunda fase das guerras que se mantiveram até aproximadamente 1689. A fazenda do Duque de Lauderdale (1616-1681) era a Thirlstane Castle (aproximadamente 17 milhas de Haddington). Como Comissário para o Parlamento escocês e secretário de Estado, ele foi governador virtual na Escócia. Sua influência foi particularmente forte em Haddington onde tinha parte de uma fazenda Abadia.

Em 1672, cinqüenta de seus “dependentes” (seus servos, retentores e cocheiros) foram feitos Burgueses da cidade por sua insistência, e novamente em 1678 ainda mais seus apoiantes foram feitos Burgueses.

Durante o ano de 1679 a cidade estava em tumulto. O Duque de York, que se tornou rei James VII (Tiago II da Inglaterra) em 1685 veio para a Escócia como Comissário Real. Lauderdale foi responsável por recebê-lo em East Lothian e ordenou que um banquete para 2000 pessoas fosse fornecido pelo município de Haddington como parte dessa recepção. Em 1688, mesmo com as guerras dos Covenanters chegando ao fim, neste ano as tropas de John Graham, de Claverhouse (1648-1689), são esquartejadas em praça pública, em parte à custa da cidade, a fim de reprimir as tendências Covenanters da população. O período de 1670-99 também foi marcado por períodos de fome intermitente e também pode ajudar a explicar a ausência total de atas durante esse período.

A fome severa de 1674 e 1675 poderia ter levado a decisão inicial de formalizar a, então, associação de jardineiros existentes na área. Durante o século XVII os jardins formais da Coroa e da nobreza começaram a ser copiados pela menor nobreza. A formação da Ordem dos Jardineiros coincide com o crescimento do interesse e da aplicação da arquitetura renascentista por latifundiários e da necessidade de um grande número de jardineiros no trabalho. A adoção de jardinagem clássica como um realce de edifícios, é provavelmente melhor conhecida na Escócia a partir do trabalho de John Reid (1655-1723). Seus pensamentos sobre os “jardins de recreio” são registrados em seu livro Os Jardins Escoceses e repete os modelos formais da época. As evidências disponíveis revelam que uma Loja em Haddington existia no final do século XVII e no início do século XVIII uma em Dunfermline. Três outras vieram a existir no final do século XVII em Bothwell, Cambusnethan e Arbroath.

Em 6 de Novembro 1849 foi realizada uma reunião na Lasswade, Midlothian, para a qual todas as Lojas conhecidas foram convidadas para formar uma Grande Loja. Após a reunião, muitas Lojas até então desconhecido para as outras entraram em contato. Através da diligência da primeira “Grand Lodge Office Bearers” mais Lojas foram identificadas em toda a Escócia e dadas a conhecer umas as outras.

Em meados do século XIX há registros de uma explosão de novas Lojas. Em 1859 a necessidade de uma melhor organização tornou-se aparente e uma reunião de Lojas foi convocada para ser realizada em Edimburgo, onde "mais de cem Lojas estiveram representadas". O tema principal do debate foi a forma que a Grande Loja deveria tomar. O debate se concentrou em a Grande Loja ser ou não um único corpo permanente, ter uma estrutura Provincial ou ser uma Grande Loja nômade como os Jardineiros Livres tinham na Inglaterra. Os detalhes não são claros, mas um compromisso parece ter sido alcançado com a formação de uma Grande Loja do Oriente e uma Grande Loja do Ocidente. A Loja de Dunfermline recebeu um convite para participar da Grande Loja, um convite que foi recusado. Sabia-se que existiam vinte Lojas de Jardineiros antes de 1849 - antes de qualquer organização central. Após a formação da primeira Grande Loja, em 1849, 69 lojas foram formadas incluindo três na América e uma em uma milícia local. As ultimas Lojas, na medida em que pode ser determinado, foram formadas em 1905.

Também é interessante notar que, como a Maçonaria, a Antiga Ordem dos Jardineiros admitiu membros não jardineiros em uma fase inicial de seu desenvolvimento, com uma taxa mais elevada do que a de um jardineiro. Desde o início, então, a Ordem aceita a admissão de não jardineiros como um prêmio. East Lothian era, e é, uma área de terra agrícola rica e tinha, e tem muitas casas de campo grandes. Haddington é a cidade do condado e ter uma Loja ali situada era bastante lógico já que este era o centro de atividade do país. Outros centros de população eram relativamente pequenos e era para Haddington que viriam os proprietários de terras, certamente, em dias de mercado, realizar negócios e recrutamento de trabalhadores, incluindo os jardineiros.

A Loja teria sido o ponto central de contato. Em essência, os proprietários de terras não tinham nada a ver com o “ofício de jardineiro”, mas os benefícios mútuos de uma associação mais estreita entre os dois grupos sociais foi reconhecida pela Grande Loja, como indicado na Constituição, e a admissão de “Nobres, Cavalheiros” era claramente vantagem financeira para a Loja. Também é provável que esta envolvido um elemento de legitimação da Loja especialmente dada a inexistência de qualquer status oficial. É mais difícil estimar o que os não jardineiros ganhavam decorrente da adesão. É possível que tenham satisfeito a sua curiosidade e/ou conselho solicitado. Um elemento de voyeurismo não pode ser descontado.

Uma ata da Loja mostra que era fornecida assistência prática aos proprietários de terra especialmente no fornecimento de produtos. Por exemplo, em 1693, um proprietário de terras de Athelstoune comprou duas dezenas de couve-flores e que um proprietário de terras de Nunland comprou um quilo de sementes de alho-poró. Este registro foi feito durante o último grande período de fome que durou a partir desse ano até 1699. Por 1704, a oferta e venda de plantas e sementes tinham terminado ou, pelo menos, estas atividades não foram registradas em ata. Isso pode indicar que a necessidade imediata de ter tal seguro como uma base contra a escassez de alimentos tinha diminuído. Outras disposições estão preocupadas com o controle do oficio da jardinagem. Por exemplo, nenhum irmão deve, “Induzir ou seduzir seu Irmão Aprendiz ou Servo, ou adquirir serviços para ele, a menos que sua liberdade seja obtida ou dada primeiro” e “Irmãos admitidos deverão dar o seu melhor conselho a seu irmão de nivelamento, de campanha, plantio e tratamento da terra”.

O Irmão Bill Perry, P.M., Secretario da Robert Burns Lodge No. 440 foi quem gentilmente emprestou um avental dos Jardineiros que pertencia a um membro da sua família. O Avental vai estar em exibição durante o mês de abril, no gabinete de exposição no hall de entrada como um complemento a este artigo.

O livro de Bob Coopers pode ser obtido na Grande Secretária pelo preço de £10 (dez libras).

Nossos agradecimentos a Bob para a sua permissão para reproduzir as informações de seu livro.

#Maçonaria

5 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo