A Árvore Inútil

Atualizado: 16 de mai.

Texto de Chuang Tzu (*)

Hui Tzu disse a Chuang: Tenho uma grande árvore, Que se chama «mal-cheirosa». Seu tronco tão torto É tão cheio de nós Que ninguém pode dele tirar uma só tábua. Os galhos são tão retorcidos Que você não consegue cortá-los De modo a que sejam úteis. Lá está ela à beira da estrada. Carpinteiro nenhum a olhará. Eis o seu ensinamento — Grande e inútil. Respondeu-lhe Chuang Tzu: Já viu o gato do mato Agachado, espreitando sua presa, — Pula assim, e assim, Para cima e para baixo, e por fim Cai na armadilha. Mas o iaque, já viu? Poderoso qual trovão Mantém-se com sua força. Grande? Claro que sim, Mas não sabe pegar ratos! Assim, a sua árvore inútil. Inútil? Plante-a então no terreno baldio Sozinha E caminhe a esmo, em torno dela, Descanse à sua sombra; Nenhum machado ou decreto proclamará o seu fim. Ninguém jamais a abaterá. Inútil? Que me importa!

(*) Chuang Tzu foi um grande filósofo taoísta do Séc. IV a.C., os textos aqui publicados são fruto de um grande esforço de compilação e meditação de Thomas Merton, um monge católico do Séc. XX d.C. que estudou os textos de Chuang Tzu em várias fontes, nenhuma delas sendo a original, mas traduções da fonte original. Finalmente, coube a Paulo Alceu Lima traduzir a Merton, do inglês para o português, conforme visto no livro “A Via de Chung Tzu” (Ed. Vozes, esgotado)

» Ver todos os posts da coluna Sabedoria do Tao no TdC

#ChuangTzu #Tao

0 visualização0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo